sexta-feira, 3 de julho de 2009

Um brinde!


Em pleno início do novo século me assusto com ações de pessoas, que até então deveriam trabalhar, pensar e agir em prol do coletivo.
Por mais que essas atitudes deprimentes estejam cada vez mais comuns, ainda não consigo me acostumar com elas. Não consigo entender nem acreditar que tais pessoas consigam dormir tranquilas, sabendo que estão na contramão da moral, da ética e principalmente da educação e do respeito.
Civilidade é o termo que muitos se esquecem. Compaixão também ajudaria.
Porém, quanto mais penso, buscando entender, mais me afasto dos reais motivos que impulsionam tais atos.
Não entendia o porquê de tal afastamento. Hoje sei.
Não compreendo, não admito... Essas ações são contrárias à minha maneira de pensar, a minha maneira de enxergar o mundo.
Talvez a criação que tive me impeça de acreditar ser possível.
Mas, infelizmente não é somente possível, como está cada vez mais comum.

Quando explode alguma notícia de desvio de verba de merenda, assistência social e de saúde... Dinheiro de educação parando em cuecas e bíblias... Eu fico extasiada.
É deprimente saber que os seres humanos (se assim podemos chamá-los) podem ser tão inescrupulosos.

Analisando, apenas com olhos e ouvidos, tenho uma simples teoria para tentar detectar esses "seres". Não é só em situações limites que encontramos esses exemplares de nossa raça. Em pequenos gestos eles se entregam.
O desrespeito à mãe. O desrespeito aos mais velhos. A falta de "semancol" em estacionar em vagas para idosos e deficientes. Humilhar colegas de trabalho simplesmente por se achar superior. A pedir que civís "saiam de seu caminho", quando você deveria agregar opiniões e trabalhar em prol do coletivo.

O pior é saber que essas coisas acontecem em todas as partes do planeta. Aqui não é o problema. O problema somos nós, que diariamente somos coniventes.

Essa semana recebi um e-mail de uma amiga que continha a frase abaixo. Acredito que refletindo sobre ela, teremos a resposta para esse enigma que está tão às claras, que nos deixa envergonhados, pois a culpa é sim, NOSSA!

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Um brinde a gentileza, ao respeito e à civilidade!

(Foto: brinde)

6 comentários:

Fabiana Franco disse...

Estou autorizadíssima e à vontade para assinar embaixo. Concordo plenamente, Carol.

Cecília disse...

Muito bem posicionado o seu texto!
Como sempre!
Questões para realmente colocarmos em prática...
...
...
...
:(

Sally disse...

Quero participar deste brinde,Carol.E o seu texto vem bem de encontro àquilo que penso sobre a vida.
Até quando teremos sociopatas com ares de ignorância sábia acreditando planarem sobre a verdade?!
Sei que mais cedo ou mais tarde serão vítimas de alguma injustiça
implacável porque será uma justiça
sem amor.E ela costuma ser corrosiva e muito,muito perigosa.
Tenho observado,como você,o andar "embotado"de 7000 léguas de alguns.
Como já tenho um bom exercício de paciência tenho cantado "nada como um dia após outro,tenho esta virtude de esperar..." e antever os orgasmos mentais que terei quando alguns cocos caírem dos altos coqueiros.Beijos!Parabéns!
Célia

Alex Pinheiro disse...

Produzia um post hoje à tarde em resposta à marolinha do #forasarney e o torpedo #honduras e, sem querer e conhecer esse belo texto aqui, acabei intertextualizando com valor da excitante ironia; ferramenta dos prazeres sórdidos, rs.

Bjs e inebriadas invenções!

marcos pardim disse...

tim-tim!!!!

Anônimo disse...

Como eu sempre digo...rs..."Qt + conheço o ser humano, + amo o Gumercindo!"...rs...embora meu coração peludo seja só camuflagem para a maciez que se esconde lá no fundo..rs...às vezes me pergunto se vale à pena acreditar no ser humano...enfim...
Bju procê...