domingo, 30 de agosto de 2009

Deus em nós!

Hoje resolvi passar mais uma vez pelo blog do Tális.
Rapaz novo, bastante informado e crítico.
Aí me inspirei num comentário que por lá deixei e o repito aqui, porém, sobre nova ótica!

Durante a semana me frustrei com duas situações que me abalaram, me fizeram chorar e até desacreditar no ser humano.
Ainda bem que tenho amigos que souberam ouvir e além disso, falar as palavras certas.
De repente a sensação de desgosto foi dando espaço ao carinho recebido e por isso sou grata. Sou grata por conhecer pessoas que fazem sim a diferença, pelo menos na minha vida!
É bom saber que se está cercada por pessoas fantásticas e generosas, que abrem espaço no difícil tempo do cotidiano para partilhar momentos agradáveis e também pegar para si a tristeza do outro e transformá-la em conforto, em amor.

Sobre as duas situações que passei, só tenho a dizer que descobri que o mal na humanidade é a falta de "senso de discernimento", pois, essas pessoas podem ser estudadas, cultas, educadas... mas não possuem esse senso que faria total diferença e as tornariam mais amáveis, mais humanas. Humanas sim!
Se a humanidade continuar perdendo sensos como: discernimento, gratidão, respeito, amor, amizade, compartilhamento... Aí sim o inferno estará próximo para a Terra.

Quanto a pergunta do Tális, se as pessoas devem ou não acreditar em Deus, deixo abaixo um poema de Fernando Pessoa, que assino embaixo!

"Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro,
Dizendo-me Aqui estou!

(Isso é talvéz ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as coisas,
Não compreende quem fala delas
Como o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo ávores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como ávores e montes e flores e luar e sol".
(Alberto Caeiro)

Finalizo, afirmando que para mudarmos o curso da humanidade precisamos mudar a nós mesmos. Velhos hábitos (talvez por alguns esquecidos) já seriam um bom início, como ser educados, gentís, compreensivos, acolhedores, generosos... Isso será mostrar o Deus que em nós habita!

6 comentários:

Alex Pinheiro disse...

Gosto de não pensar. Gosto da idéia borbulhante em repousar minha vida numa (in)significância plausível para os medidores do Ibope de domingo à tarde. Gosto de caber em uma garrafa amarronzada de vinho barato e relativizar esses assuntos complexos.

No entanto, tenho cá se debatendo um espírito de porco que me carrega. Digo do convencionado "deus" estar vertendo essas características que encerrou sua argumentação... mas que pode ser só educação, gentileza, etc... Quando escolho dizer que "aquele/a tem deus", quando quero dizer que "aquele/a é educado/a", estou maximizando a entidade em detrimento de uma virtude admirável que pode estar, sem sombra de dúvidas, em qualquer ser Humano.

É bem verdade que acredito nessas qualidades sociais todas convergindo, mas prefiro uma outra palavra: humanidade.

Tudo casa,,, o perturbado Caeiro e a inquieta Padreca. rs

Gostei ler meu domingo em suas páginas. Obrigado!

Bjs e reflexivas invenções!

André Luiz Odin disse...

não sei se sou uma das pessoas que sou bom em palavras e sei transformar a tristeza das pessoas em afeto e carinho. Mas pode ter certeza que quando precisares darei tudo de mim para conseguir este feito.
Te amo e estarei sempre ao seu lado. Para tudo!
Porque irmãos a gente não escolhe (e nem são muitos), são dados de presentes para gente e temos que cuidar para não deixar quebrarem, nem machucarem e muito menos jogarem fora.
Obrigado!

Tálison de Paiva disse...

Primeiramente, queria agradecer por tudo!
Não conheço você pessoalmente, mais creio que você é uma pessoa sensacional e é no momento uma grande amiga "virtual".
Bom, sobre a existência de Deus, é um assunto delicado, eu não gosto de ficar argumentando esses tipos de assunto. Cada um tem sua fé e sua religião... respeito todas as idéias e religiões.
Bom, postei no meu blog, digamos, uma resposta, ou melhor, meu ponto de vista sobre a existência de Deus!
Veja: http://talison.paiva.zip.net/

Obrigado por tudo e fique com Deus!

fabiana.franco disse...

Carol
Sempre te disse e afirmo novamente: se existissem mais pessoas como vc, o mundo seria bem melhor.
Agradeço a Deus por vc existir na minha vida! Pra mim é um privilegio ser sua amiga.
Te adoro!
Bjos

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Carolina Padreca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.