segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Sobre Margueritte e Gisèle

Neste final de semana assisti ao gostoso filme "Minhas tardes com Margueritte". Leve, poético, aconchegante, puro, verdadeira obra de arte! Assim que o vídeo acaba, fica aquela sensação boa de soma, de que o contemplado trouxe algo de bom, que perdurará dentro da gente!


Gisèle Casadesus, a atriz principal, nasceu na França em 1914 (sim, continua viva e trabalhando ativamente). Ela é membro honorário de entidades culturais importantíssimas francesas, assim como provém (é da segunda geração) de uma notável família de 40 artistas. Compositores, músicos, poetas, atores... desde 1870 transformando positivamente a história cultural da França.


Após muita leitura, ficaram duas lições que reforçam meu pensamento a respeito da vida: 1) é possível viver de arte/cultura, profissão digna que deve ser valorizada e investida como qualquer outra; 2) a mente determina a nossa idade!

Mesmo com poucas palavras, mas muita energia boa, escolhi este tema para reativar o meu blog, deixando a dica de um filme sem efeitos especiais, que traz muitas sugestões para reflexão sobre nossas escolhas.

Um comentário:

Alex Pinheiro disse...

Embora algumas grandes obras de arte tenham nascido despretensiosamente, ARTE é profissão sim... E muita arte fica na gaveta por desvalorização; mal para todos.