sexta-feira, 24 de julho de 2009

Novo "O Pagador de Promessas" inaugura o CEC

Mais de cem artistas se preparam para um grande espetáculo em Salto. São músicos, cantores, atores, bailarinos, coreógrafos, diretores, redator, além da equipe técnica! Anselmo Duarte, cineasta famoso e também saltense ilustre será o homenageado da noite.
A ocasião é, nada mais nada menos, do que a inauguração de Centro de Educação e Cultura da cidade, que será o palácio da cultura da cidade. Palácio pela grandeza; cultura por que será lá o mais novo palco de espetáculos desta terrinha.
Em coletiva com a imprensa, na manhã de quinta-feira (23), o Secretário da Cultura e Turismo, Valderez Antônio da Silva contou um pouquinho mais sobre como será celebrada a data que se aproxima (noite da próxima sexta-feira, 31 de julho).
Uma releitura do famoso filme "O Pagador de Promessas"(único vencedor da "Palma de Ouro" pelo Brasil)será encenada. Os preparativos estão à todo vapor e os artistas até meio enlouquecidos. Mas, o brilho no olhar de cada participante traduz o que esta Salto é capaz de fazer em tão pouco tempo: unir os já excelente artistas que temos para tão importante ocasião.
Alguns nomes devem sempre ser lembrados, quando se fala na preparação deste espetáculo: Ismênia Rogich e Arilton Assunção (coreógrafos), Renato Bispo e Sandro Bergamo (diretores do elenco) e Silmar Oliveira (regente, arranjador e diretor musical), Valderez Antonio da Silva (responsável pela concepção, roteiro e texto do espetáculo) além de representantes da Secretaria, também empenhados e dedicados à montagem.
Anselmo Duarte está confirmado à comparecer. Ele e família, pois também na mesma noite, receberá a Medalha Municipal do Mérito!
Como na oportunidade só poderão assistir pessoas já convidadas e confirmadas, o espetáculo será reprisado no CEC (à Rua Prudente de Moraes) nos seguintes dias e horários: domingo (02) - às 18h e às 20h; segunda(03) e terça-feira (04) às 20h. A entrada é franca e livre. Vale a pena conferir nossos artistas, neste tão esperado momento!

Vale lembrar que na quinta-feira (30) a partir das 20h haverá a inauguração solene, com apresentações da Banda Marcial, Orquestra de Metais e Banda Gomes-Verdi.
Já de 02 a 14 de agosto, das 8h às 17h o CEC ficará aberto para visitação pública.

(Fotos 1, 2 e 3 por Carolina Padreca/inebriada - platéia e ensaios do espetáculo. Foto 4 por Fabiana Franco/Jornal Taperá - interior do CEC)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Um brinde!


Em pleno início do novo século me assusto com ações de pessoas, que até então deveriam trabalhar, pensar e agir em prol do coletivo.
Por mais que essas atitudes deprimentes estejam cada vez mais comuns, ainda não consigo me acostumar com elas. Não consigo entender nem acreditar que tais pessoas consigam dormir tranquilas, sabendo que estão na contramão da moral, da ética e principalmente da educação e do respeito.
Civilidade é o termo que muitos se esquecem. Compaixão também ajudaria.
Porém, quanto mais penso, buscando entender, mais me afasto dos reais motivos que impulsionam tais atos.
Não entendia o porquê de tal afastamento. Hoje sei.
Não compreendo, não admito... Essas ações são contrárias à minha maneira de pensar, a minha maneira de enxergar o mundo.
Talvez a criação que tive me impeça de acreditar ser possível.
Mas, infelizmente não é somente possível, como está cada vez mais comum.

Quando explode alguma notícia de desvio de verba de merenda, assistência social e de saúde... Dinheiro de educação parando em cuecas e bíblias... Eu fico extasiada.
É deprimente saber que os seres humanos (se assim podemos chamá-los) podem ser tão inescrupulosos.

Analisando, apenas com olhos e ouvidos, tenho uma simples teoria para tentar detectar esses "seres". Não é só em situações limites que encontramos esses exemplares de nossa raça. Em pequenos gestos eles se entregam.
O desrespeito à mãe. O desrespeito aos mais velhos. A falta de "semancol" em estacionar em vagas para idosos e deficientes. Humilhar colegas de trabalho simplesmente por se achar superior. A pedir que civís "saiam de seu caminho", quando você deveria agregar opiniões e trabalhar em prol do coletivo.

O pior é saber que essas coisas acontecem em todas as partes do planeta. Aqui não é o problema. O problema somos nós, que diariamente somos coniventes.

Essa semana recebi um e-mail de uma amiga que continha a frase abaixo. Acredito que refletindo sobre ela, teremos a resposta para esse enigma que está tão às claras, que nos deixa envergonhados, pois a culpa é sim, NOSSA!

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Um brinde a gentileza, ao respeito e à civilidade!

(Foto: brinde)